Educaedu Comunidade Mundial de Educação

O Desafio do Doutorado

Para ingressar em um programa de Doutorado, é preciso ter tempo, paciência e agilidade para encarar os prazos, a lista de pré-requisitos dos editais e as cansativas etapas de seleção.

O candidato precisa estar disposto para participar desse longo “vestibular”, que inclui: provas escritas, exames orais, análises de currículos, fundamentação do projeto de pesquisa, entrevistas pessoais e cartas de recomendação.

Cada instituição estipula as regras de seu processo seletivo, mas vale lembrar que todas exigem o título de mestre (mestrado) e a apresentação de uma tese inédita de trabalho já aceita por um orientador, que deve ser entregue junto com as cartas de recomendação de professores.

Além disso, são exigidos também conhecimentos sólidos na área de estudo, experiência em projetos de científicos e domínio de duas línguas estrangeiras, sendo que muitas universidades exigem do candidato um exame de proficiência como o Toefl ou o IELTS, já que é bem muito comum a utilização de referências bibliográficas em outros idiomas.

O caminho natural para quem opta pela carreira acadêmica é entrar na graduação, passar pelo mestrado e, só depois, fazer o doutorado. Mas há casos especiais em que o aluno parte direto da faculdade para o doutorado, o que requer uma análise bem minuciosa de currículo para justificar esta medida.

doutorado

Foto: Flickr Creative Commons/ S de Santi

Geralmente, as universidades abrem vagas para o curso entre o fim e o início de cada ano e, na maioria das vezes, o currículo profissional é o primeiro requisito analisado. O candidato tem que estar atento à sua elaboração, adicionando participações em eventos, congressos e publicações. Para não errar, é possível usar o modelo da Plataforma Lattes, do CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). A boa redação da carta de intenções também ganha pontos. Ela deve ir anexa ao currículo e ter formato de memorando com breve exposição sobre o seu interesse e expectativas em relação ao curso.

A prova escrita, exame oral e a entrevista com o coordenador do programa são os momentos em que o aluno mostra seus conhecimentos técnicos, além de usar o poder de argumentação para defender sua tese e os caminhos que irá tomar para viabilizar a pesquisa. Será analisada também a disponibilidade financeira e de horários, já que o curso de doutorado sem bolsas parciais ou integrais tem, em média, um custo de R$ 60 mil, segundo dados do CNPQ.

Depois passar por todas essas etapas, basta aguardar o resultado e ter muito fôlego para enfrentar quatro anos de muita dedicação. Vale destacar que o aluno profissional que opta pela área acadêmica tem que estar preparado para criar o hábito de viver exclusivamente para estudar, chegando até a abdicar de alguns momentos de lazer, noites de sono e certas economias.

Boa sorte!

Tags: , , , , , , ,


Comments are closed.